quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Perdendo espaço

No DOU do dia 1/9/2010, a Portaria n. 2002, de 19/08/2010, foi republicada com o seguinte teor:
GABINETE DO MINISTRO
PORTARIA No- 2.002, DE 19 DE AGOSTO DE 2010(*)
O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso da atribuição que lhe confere o inciso I do art. 87 da Constituição Federal, resolve:
Art. 1º Fica instituído, no âmbito deste Ministério, Grupo de Trabalho com vistas a realizar estudos na legislação que trata da inclusão de pessoas portadoras de deficiência física (Utilização da nomenclatura incorreta e sem a citação das demais deficiências (visual/auditiva e intelectual), ou reabilitadas, no mercado de trabalho.
Art. 2º O Grupo de Trabalho terá a seguinte composição:
I - dois representantes indicados pela Secretaria de Relações do Trabalho, sendo um deles coordenador do grupo;
II - dois representantes indicados pela Secretaria de Inspeção do Trabalho;
III - dois representantes indicados pela Secretaria de Políticas Públicas de Emprego.
Parágrafo único. Representantes de outras entidades (Que entidades???)poderão ser convidados a contribuir nos estudos.
Art. 3º O Grupo de Trabalho deverá apresentar ao Ministro de Estado do Trabalho e Emprego relatório de suas atividades, no prazo de trinta dias de sua instalação.
Parágrafo único. O prazo de que trata o caput poderá ser prorrogado mediante solicitação fundamentada do Grupo de Trabalho.
Art. 4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
CARLOS ROBERTO LUPI
(*) Republicada por ter saído, no DOU n - 165, de 27-8-2010, Seção 1, pág. 107, com incorreção no original.
Ministério do Trabalho e Emprego

domingo, 26 de setembro de 2010

DIA 26 - DIA NACIONAL DO SURDO - Quantos surdos, cegos, pessoas com deficiências múltiplas estão na Universidade no Brasil

EDIÇÃO EXTRA
Editor Responsável - Dr. Jorge Márcio Pereira de Andrade - CREMESP 103282
http://infoativodefnet.blogspot.com/
http://www.defnet.org.br/
RETRANSMITE E SOLICITA DIFUSÃO NA INTERNET
DIA 26 - DIA NACIONAL DO SURDO
Quantos surdos, cegos, pessoas com deficiências múltiplas estão na Universidade no Brasil?



Pessoas com Deficiencia nas universidades em Mato Grosso são menos de 2%
Fonte: A Gazeta
Barreiras físicas, burocráticas e sociais dificultam o ingresso dos deficientes físicos no ensino superior. Menos de 2% de graduandos das universidades de Mato Grosso tem algum tipo deficiência. Na Universidade do Estado (Unemat) esse índice é apenas é 0,07%, muito pouco frente a estimativa de 250 mil deficientes que vivem no Estado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Parece mentira, mas a falsa ideia de que essas pessoas devem ficar em casa em vez de estudar e trabalhar ainda tem raízes no censo popular. Kamila Cristhine Fonseca, 24, tem deficiência auditiva, viveu essa realidade, mas não se deixou abater pelos comentários. "As pessoas não acreditam que um surdo pode fazer uma faculdade, mestrado, doutorado", conta com os gestos rápidos e precisos de quem domina a Língua Brasileira de Sinais (Libras).
Uma das coisas mais complicadas para o surdo é entender a língua portuguesa, pois além da Libras utilizar outra sintaxe - disposição das palavras na frase - não há a fonética. Por isso, disciplinas como português, redação, história e geografia tornam-se um dilema na vida de um deficiente auditivo. Essa dificuldade o acompanha desde o momento que coloca o pé na escola e se agrava no vestibular.
Para ingressar no curso de Sistema de Informação, na Universidade de Cuiabá (Unic), Kamila dedicou grande parte da sua vida escolar para o estudo do português. Para fazer o vestibular, focou na redação como nenhum outro candidato. Aprovada, começava outra dificuldade, compreender aquilo que o professor dizia.
Desde os primeiros anos de escola, Kamila nunca teve a oportunidade de ter um intérprete. Para superar essa carência, sempre sentou na frente do professor e prestava atenção em tudo. Sofreu, reprovou, mas nunca desistiu. Ao chegar à universidade percebeu que a situação era diferente, mais complicada, e com as dicas de uma amiga mudou a realidade da universidade. Ela entrou com um pedido de ação no Ministério Público, solicitando um intérprete e nem isso foi fácil. Para provar que sabia a língua dos sinais precisou fazer um vídeo em que aparecia "falando" em libras.
Hoje ela conta com o acompanhamento diário e incansável do intérprete Sérgio Pereira Maiolini, que também auxilia outra aluna no curso de engenharia civil. Como em Mato Grosso não existe um dicionário específico para determinadas disciplinas, intérprete e aluna criaram sinais específicos para compreender melhor a matéria. "É um desafio gratificante. É maravilhoso acompanhar o crescimento de uma pessoa, participar da vida desse aluno e dividir com ele as dificuldades e os sonhos. A Kamila, por exemplo, quer chegar ao mestrado".
Avanços? - Apesar de ser baixo número de pessoas deficientes que chegam ao ensino superior, a presidente da Associação Mato-grossense de Deficientes (AMDE), Lilian Sueli Alves, avalia que houve um certo avanço, já que em outras décadas o deficiente nem saía de casa. "Estamos caminhando, quebramos alguns paradigmas, mas ainda há muito que ser feito. Precisamos mudar toda uma cultura".
A presidente da AMDE lembra que as dificuldades enfrentadas por um deficiente até ele chegar ao ensino superior estão por todas as partes: pouca acessibilidade, falta de conhecimento das leis, pessoas que subestimam à capacidade de aprendizagem do deficiente, pouco apoio familiar, além do pequeno número de escolas de ensino fundamental e médio que trabalham o braile e a libras de modo integral.
Mudanças - Na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com todos os campi, ainda não se tem o número total de graduandos com alguma deficiência. O que se sabe é que no campus Cuiabá, dos 5 mil alunos, 2,3% declararam ter algum tipo de deficiência. A coordenadora de políticas acadêmicas da Pró-reitoria de Ensino e Graduação (Proeg), Sumaya Persona, explica que um levantamento começou a ser feito para mostrar esses números e traçar uma política para deficientes.
Até então, o que se tem são obras que aos poucos transformam a cara do campus, tornando-o mais acessível, principalmente em relação às rampas, piso tátil e elevadores. Estudantes cegos e surdos devem solicitar junto à Proeg profissionais que o acompanharão em toda a vida acadêmica. Quanto à prova de ingresso na UFMT - que desde 2009 é o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) - para 2010 não há mudanças. Entretanto, uma luz foi sinalizada com a criação, este ano, de uma comissão que vai discutir a criação de um vestibular especial para esses alunos a partir de 2011.
Exemplos - O Instituto de Linguagens (IL), da UFMT, vem se transformando em exemplo de acessibilidade e inclusão social, tanto para os demais institutos da própria universidade quanto para outras instituições de ensino superior do Estado. Desde 2005 a direção do IL consegue aprovar projetos no Incluir, um programa do Ministério da Educação (MEC) que investe em acessibilidade.
"Passei a prestar mais atenção na inclusão quando me deparei com 2 alunos cegos em uma aula de história da arte, no curso de música. Eu sou professora dessa disciplina e, na época, tive 100% de dificuldade de trabalhar com eles. Desde então focamos em ações para incluir esses alunos", recorda a diretora do IL, Rosângela Cálix Coelho.
De lá para cá, o instituto foi aprovado no Incluir em todos os anos e com a verba do programa criaram o Núcleo de Inclusão e Educação Especial. Hoje, os deficientes físicos que passam pelo IL têm laboratório de informática adaptado para cegos, cursos de libras para as licenciaturas, rampas de acesso e se preparam para receber um novo banheiro adaptado e identificações táteis.
Mas o melhor está por vir. A partir de 2011 o lL vai oferecer curso de inglês para cegos e baixa visão, baseado em um material didático 100% auditivo. Outra novidade é o ensino de português para estudantes de escolas públicas surdos, que a princípio vai funcionar com uma turma piloto. Para o ensino de libras, o próximo ano contará também com apostilas dividas por áreas do conhecimento.
No Centro Universitário Cândido Rondon (Unirondon), além dos intérpretes e de adequações físicas, a faculdade apostou em bolsas de estudo para deficientes físicos. Atualmente a universidade conta com pouco mais de 100 alunos deficientes, sendo que 32 deles recebem bolsas de até 50%, graças a uma parceria com a AMDE.
Nos vestibulares do Unirondon, os candidatos podem solicitar apoio de ledores ou intérpretes. Já no exame da Unemat, as provas para deficientes físicos são em braile ou com leitura ampliada, dependendo da necessidade do candidato. Mas quanto aos surdos, estes ainda precisam se redobrar os estudos da Língua Portuguesa



LEIA NO BLOG : UMA LUZ NO FIM DO LIVRO
Homenagem a Gennet de Corcuera 1ª SURDOCEGA EM UMA UNIVERSIDADE ESPANHOLA
http://infoativodefnet.blogspot.com/2010/09/uma-luz-no-fim-do-livro.html

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

I Seminário de Educação de Surdos da UFPR

Boa tarde à todos !

Repassando e-mail...
Abraços!


Prezados,

Segue, anexo, a programação do *I Seminário de Educação de Surdos da UFPR*, a ser realizado nos dias 25 e 26 de setembro.
Lembramos que a entrada é *gratuita* a todos aqueles que não desejarem certificação.
Haverá inscrições no local (** Auditório do Setor de Ciências Sociais Aplicadas - UFPR - Av. Prefeito Lothario Meissner, 632 - Jardim Botânico) .

Contamos com seu apoio na divulgação a professores, familiares e demais interessados.

Abraços,

Sueli Fernandes

INFORMAÇÕES:
http://seminariofeneispr.webnode.com.br/




--
Sueli Fernandes
Setor de Educação/DTFE - UFPR
Graduação em Letras Libras/PROGRAD/UFPR - (41) 3310-2698
(41) 8862-1919





--
Maurianna Cascaes

terça-feira, 21 de setembro de 2010

PcD, Ética e Política

O dia 21 de setembro[i] é o DIA NACIONAL DE LUTA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA[ii], infelizmente ainda necessário num país em que muitas lideranças instrumentalizaram o idoso e o deficiente, cobrando verbas para sustentação de projetos e fazendo favores em troca de votos. Criado por efeito da Lei Federal 11.1133 de 14 de julho de 2005 (mas realmente inventado em 1982) é mais uma lembrança a todos que existem pessoas com restrições motoras, sensoriais, mentais ou uma combinação dessas limitações, como sói acontecer aos idosos à medida que avançam na idade.



Ética, quando queremos aplicar suas bases filosóficas, e são muitas e diversas, é um “conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um indivíduo, de um grupo social ou de uma sociedade” (Houaiss – Dicionário Digital). Ou seja, pode ser muita coisa, sempre em função da época e cultura de um povo ou de alguma corporação ou segmento, até o elemento único, o ser humano. Estrutura-se em torno de interesses e teorias nem sempre saudáveis ao conjunto e ao próprio indivíduo.



A Política é a arte de governar e de conquista de poderes para tanto.



Estamos em processo de campanha política. Que interesses movem nossos candidatos e seus queridos partidos? Qual é a “ética de governo”?



Voltando ao tema inicial, o DIA NACIONAL DE LUTA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA, notamos que em Curitiba começou sob trovões. Seria um protesto Divino? Temos, de fato, preocupação legítima de nossos governantes e parlamentares (salvo raras e belas exceções) com as PcDs, os idosos, as pessoas doentes (transitoriamente PcDs ou lesadas permanentemente)?



A decisão de se fazer a Copa do Mundo de 2014 no Brasil mostrou uma falha ética monumental entre nossos administradores públicos. De repente tudo se tornou possível. Para termos a oportunidade de ver jogos que nem sabemos quais serão durante duas semanas, em Curitiba, jogamos no lixo até o planejamento urbano integrado, amplo, geral. Vimos, por exemplo, a oferta absurda de espaços para mais ruas verticais (Solo Criado) sem grande preocupação com os efeitos dessa decisão, isso numa cidade que já dá mostras eloqüentes de imobilidade no trânsito de veículos.



Prioridades, nossos políticos estão certos? Por quê esse tema não é debatido com vigor? Seria a famosa ética política a responsável pelo quase silêncio, apenas murmúrios de perplexidade? Faz parte do jogo político ver os adversários se afogarem em seus projetos? Ou pura vaidade de constar de alguma lista da FIFA?



Felizmente temos a imprensa livre mostrando sistematicamente a incoerência em torno dessa questão.



Com certeza existem questões mais importantes do que receber turista durante um mês. Algumas empreiteiras ganharão muito. Restaurantes, hotéis etc. vão faturar nesse mês da Copa. Vamos torcer para termos turistas ricos. O Faustão vai poder fazer o “torpedo patriótico” louvando as virtudes de uma nação de sorvetões a serviço de um grande negócio de gente internacional. Depois é só pagar a conta...



Aliás, o futebol clássico está deixando de ser um esporte para virar um teatro ou cinema, dependendo da forma como é visto (no estádio ou em casa diante de algum televisor). Os espaços para a garotada praticar o que era um esporte popular estão acabando. Nem em frente à casa isso já é possível, as ruas se transformaram em pistas de corrida. As várzeas se transformaram em favelas, avenidas ou parques.



Sim, precisamos de ética, ética sensata e a favor de pessoas que realmente precisam de governo. Será que avançaremos um pouco nessas eleições ou simplesmente referendaremos esse estado de miséria intelectual? Enquanto isso falta dinheiro até para arrumar ponto de embarque de ônibus e mudanças na lógica administrativa das calçadas. As PcD e os idosos que não têm carro que fiquem em casa...



Cascaes
21.9.2010



--------------------------------------------------------------------------------



[i] http://www.cedipod.org.br/dia21.htm



[ii] DIA NACIONAL DE LUTA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA



Nós, pessoas com deficiência, vimos a público neste nosso Dia Nacional de Luta, refletirmos juntos com a sociedade sobre alguns aspectos.



No Brasil, segundo o IBGE, 14,5% da população tem algum tipo de deficiência (algo em torno de 24,5 milhões de pessoas). Os nossos direitos estão garantidos na Constituição Federal de 1988 e temos uma das legislações mais avançadas sobre os direitos das pessoas com deficiência, das quais citamos algumas:



Lei Federal nº 7.853, de 24/10/1989, dispõe sobre a responsabilidades do poder público nas áreas da educação, saúde, formação profissional, trabalho, recursos humanos, acessibilidade aos espaços públicos, criminalização do preconceito.



Lei Federal nº 8.213, 24/07/1991, dispõe que as empresas com 100 (cem) ou mais empregados devem empregar de 2% a 5% de pessoas com deficiência.



Lei Federal nº 10.098, de 20/12/2000, dispõe sobre acessibilidade nos edifícios públicos ou de uso coletivo, nos edifícios de uso privado, nos veículos de transporte coletivo, nos sistemas de comunicação e sinalização, e ajudas técnicas que contribuam para a autonomia das pessoas com deficiência.



Lei Federal nº 10.436, 24/04/2002, dispõe sobre o reconhecimento da LIBRAS-Língua Brasileira de Sinais para os Surdos



Estes avanços naturalmente não nos “caíram do céu”, foram frutos de muita luta e enfrentamentos e muita vontade de transformar. Muito há que se fazer, para que estas leis saiam do papel fazendo de nós cidadãos.



Conselho Municipal da Pessoa Deficiente/SP

Movimento pelos Direitos das Pessoas Deficientes-MDPD

Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos-FENEIS

Fraternidade Cristã de Doentes e Deficientes-FCD/SP

Assoc. dos Funcionários do Grupo Santander/Banespa-AFUBESP

http://www.portadeacesso.com/artigos_leis/informativos/21_set.htm

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

DIA NACIONAL DE LUTA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Meus amigo, preciso fazer algumas considerações a respeito desta atividade de Curitiba.


Será que ja não altrapassamos o período de atividades exclusivas para pessoas com deficiência?

Será que não estamos no advento da INCLUSÃO e muitas das questões colocadas deveriam estar nas políticas públicas da capital e do estado do Paraná?

Será que dia 21 de setembro (se o evento é em alusão a este dia)não deveria ser lembrado como o DIA NACIONAL DE LUTA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA, e LUTA pressupõe ações de mudança de paradigma?

Desculpem-me vejo boas intenções nas atividades, mas vejo também um retorno aos anos 80/90 com grandes eventos e poucas ações de mudança efetiva para a realidade de todas as pessoas com deficiência.

Mas bom evento para Curitiba......

Abraços



--

Solange Maria

9992-7842











> Subject: ENC: Dia da Cidadania Especial

>

>

> PEÇO A TODOS QUE REPASSEM ESTE E-MAIL.

> SERÁ UMA EXCELENTE OPORTUNIDADE PARA AS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA.

> AGRADEÇO A TODOS...

> BEIJOS. MOEMA.

> moema-araujo@uol.com.br

>

>

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Fórum ESCOLARIDADE E EMPREGABILIDADE da PcD


FICHA DE INSCRIÇÃO




Nome:

E-mail: CPF:

Instituição: Função:

Fone: Celular:

Cidade/Estado:





Possui alguma deficiência?



( ) Sim ( ) Não

( ) Visual ( ) Auditiva ( ) Motora ( ) Cadeirante ( )Intelectual



Como ficou sabendo do evento?



( ) Internet ( ) Folder ( ) Cartaz ( ) Amigos



Outros___________________________________________________________________________________





Encaminhar esta ficha para o e-mail < inscriforum@sme.curitiba.pr.gov.br >

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21/09)

----- Original Message -----

From: Espaço da Cidadania

To: Espaço da Cidadania

Sent: Monday, September 13, 2010 9:33 AM

Subject: Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência unirá forças pela inclusão no trabalho em São Paulo





Espaço da Cidadania



Rua Erasmo Braga, 307, 3º andar – Presidente Altino – Osasco – SP – CEP: 06213-008



Tel: (11) 3685-0915 - e-mail: ecidadania@ecidadania.org.br



site: http://www.ecidadania.org.br/


Osasco, 13 de Setembro de 2010.



Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência unirá forças pela inclusão no trabalho em São Paulo


No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21/09), São Paulo abre luta contra o preconceito no mundo do trabalho.



Em defesa do resgate do cumprimento da Lei de Cotas, diversas organizações se uniram para fortalecer o direito ao trabalho das pessoas com deficiência numa ação que começa no auditório da Superintendência Regional do Trabalho, tem caminhada pela Rua Xavier de Toledo, e é encerrada com atividades culturais em frente ao Teatro Municipal de São Paulo.



Estarão juntos o Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, as Centrais Sindicais, os Sindicatos Patronais e de Trabalhadores, as entidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência, escolas, órgãos públicos, Ministério Público, etc.



Na oportunidade será divulgado um documento de alerta para a sociedade porque no rol de atitudes e descaso contra o acesso ao trabalho das pessoas com deficiência já se observa até decisões “estranhas” na justiça do trabalho, lastreadas por MITOS E PRECONCEITOS dos próprios julgadores.


A programação será desenvolvida:



1- das 9:00h às 11:00h no auditório do SRTE/SP localizado à Ria Martins Fontes, 109.


2- caminhada da SRTE ao Teatro Municipal de São Paulo, com distribuição de carta aberta a população.


3- das 12:00h às 14:00h atividades culturais e musicais para a população em geral.


O convite oficial será divulgado amanhã, mas caso queira garantir sua pré-inscrição para o ato no auditório da SRTE, favor confirmar presença através do e-mail: ecidadania@ecidadania.org.br



Confirme sua presença, garanta sua vaga.


Abraços



Clemente.



Em tempo:

No Paraná a Justiça dá Exemplo


No mesmo dia 21 de setembro o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (9ª Região) organiza o evento: “O BRASIL E A JUSTIÇA DO TRABALHO EM PROL DA SOCIEDADE INCLUSIVA”. E a iniciativa tem o apoio total da Presidência daquele Tribunal.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

III Fórum de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social da Pessoa Deficiente

----- Original Message -----

From: Regiane De Cassia Ruivo Maturo

Sent: Wednesday, September 08, 2010 10:28 AM

Subject: III Fórum de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social da Pessoa Deficiente - Belém - Envio de trabalhos até 10 de setembro
Segue divulgação.

Abraço



Regiane de Cássia Ruivo Maturo
Responsabilidade Social - SESI
Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná

'Fone + 55(41) 3271- 9237 7Fax +55 (41) 3271- 9239
iSite: http://www.fiepr.org.br/

Esta mensagem é de inteira responsabilidade de seu(s) autores(es). As opiniões nela emitidas não exprimem, necessariamente o ponto de vista do Sistema FIEP.

--------------------------------------------------------------------------------gramação



III Fórum de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social da Pessoa Deficiente

Mais informações: http://www.forumdetecnologiaassistiva.com.br/

CURSO 1 - Mobíliário Adaptado em Papelão



Ministrantes: Shirley Rodrigues Maia e Dalvanise de Farias Duarte



· Doutoranda em Psicologia a Educação pela Universidade São Paulo – USP, Diretora Educacional da Ahimsa Associação Educacional para Múltipla Deficiência



· Coordenadora pedagógica AHIMSA e especialista em surdocegueira e múltipla deficiência sensorial



Horário: 8:00 às 12:00 e 14:00 às 17:30 hs.



Sala Lira


CURSO 2 - Tecnologias para Comunicação alternativa na Escola



Ministrante: Érika Nobre Duarte



· Mestre em Fonoaudiologia pela PUC-SP, aperfeiçoamento em CSA pela COGEAE PUC-SP, especializada no conceito Neuroevolutivo Bobath. Fonoaudiologa da AACD/SP

Horário: 8:00 às 12:00 e 14:00 às 17:30 hs.



Sala Pegasus

CURSO 3: Uso do PECS para comunicação com Autistas



Ministrante: Mariah Spanglet (USA)



Psicopedagoga e Fonoaudióloga, especializada em transtornos autísticoscom doutorado em Educação Especial atua na cidade de St. Louis, Missouri (USA)



Horário: 8:00 às 12:00 e 14:00 às 17:30 hs.



Sala Phoenix


Credenciamento:



A partir da 08:30hs

Cerimônia de Abertura



Conferência: “Uso da Tecnologia Assistiva para promoção da inclusão”

Conferencista: Romeu Kazumi Sassaki



Horário: 18:30 hs.



Coffee Break com Show de David Valente.



Local: Auditório Grande – Solarium 1



________________________________________________________________________________________


DIA 04/11 - Manhã

CURSO 4: Educação Inclusiva: Avaliação e Plano de ação



Ministrante: Regina Hasty (USA)



· Coordenadora do Programa de Educação Inclusiva de St. Louis/Missouri (USA), Doutora em Transtorno de comportamento e dificuldades de aprendizagem



Horário: 8:00 às 12:00 hs.



Sala Lira

CURSO 5: Noções Básicas do Método Cuevas Medek Exercises (CME) para tratar crianças com Paralisia Cerebral



Ministrante: Ms. Claudia Akemi Yamauti Rizzo (IMPDor/SP)



· Fisioterapeuta, pós-graduada em fisioterapia pediátrica. Estágio em Toronto, Canadá em 2005-2006. Onde realizou seu primeiro contato com o Ambiente Multisensorial Snoezelen e Cuevas Medek Exercises (CME). Em 2007, realizou novos cursos em Nova York em Snoezelen e o Módulo Intermediário de Cuevas Medek Exercises (CME), sendo a responsável por introduzir o Método CME no Brasil.Coordena o setor de fisioterapia pediátrica do Instituto do Movimento e Prevenção da Dor (IMPDor), e ministra



Horário: 8:00 às 12:00 hs.



Sala Pegasus


CURSO 6: Robótica da Reabilitação



Ministrante: Teodiano Bastos Filho



· Engenheiro Elétrico. doutorado em Ciencias Físicas (Electricidad y Electrónica) pela Universidad Complutense de Madrid e pós-doutorado pela Universidad de Alcalá de Henares, Espanha. Professor Associado II da Universidade Federal do Espírito Santo e Pesquisador do CNPq.



Horário: 8:00 às 12:00 hs.



Sala Phoenix



CURSO 7: Acessibilidade Residencial e urbana



Ministrante: Silvana Cambiaghi



Arquiteta, mestre em Desenho Universal na FAU-USP. Desenvolve atividade Intersecretarial na Prefeitura do Município de São Paulo sobre acessibilidade ao meio físico. É consultora em Acessibilidade do Instituto Paradigma; realiza palestras sobre o assunto no Brasil e no Exterior. Participa da revisão da NBR9050 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT sobre Adequação de Edificações e Mobiliário Urbano à Pessoa com Deficiência. Co-curadora da “Sala Especial de Acessibilidade ao Meio Físico” na 3ª Bienal Internacional de Arquitetura. Docente dos cursos de Acessibilidade na Fupam – FAU-USP e SENAC.



Horário: 8:00 às 12:00 hs



Sala Vega


CURSO 8: Softwares e hardwares: Usabilidade e acessibilidade



Ministrante: Andrea da Silva Miranda



Graduação em Tecnologia em Processamento de Dados. Doutorado em Engenharia da Produção de Sistemas pela UFSC. Mestrado em ciência da computação. Pós - doutorado em engenharia e gestão do conhecimento UFSC. Possui experiência profissional no desenvolvimento de projetos e de Interfaces ergonômicas nas áreas de Educação a distância e Acessibilidade digital. É professora adjunta da UFRA nos cursos de licenciatura em computação e informática agrária.É consultora e conselheira da OSCIP Acessibilidade Brasil onde atuou ativamente em vários projetos destacando se a elaboração da metodologia de atendimento e acesso de pessoas com deficiência e idosos em telecentros. É pesquisadora Associada do Remote Experimentation Laboratory - REXLAB onde realiza pesquisas na área de acessibilidade digital.



Horário: 8:00 às 12:00 hs.



Sala Sírius

DIA 04/11 – Tarde


14:00 – 16:00

Mesa Redonda: Relato de Experiências: Usuários e Tecnologia



Participantes: Antonio Carlos Júnior (PA)



José Eliandro Rocha S. filho (PA)



Luciano de Almeida Moura (SP)



José Sinésio Torres Filho (PA)



David Valente (CE)



Silvana Cambiaghi (SP)



16:00 - 18:00



Mesa Redonda: Tecnologia Assistiva na Educação Inclusiva = Acessibilidade, Diversidade e Qualidade para Todos



Participantes: Erika Nobre (SP)



Romeu Sassaki (SP)



Mariah Spanglet (USA)



Marta Gil (SP)



Rafael Morais da Silva (PA)




DIA 05/11 - Manhã



CURSO 9: Tecnologias em (Re) Habilitação ; Perspectivas de inovação



Ministrante: Percy Nohama



Engenheiro Eletrônico, mestrado em Engenharia Elétrica e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas. PROFESSOR TITULAR da PUC do Paraná, PROFESSOR da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Revisor de periódico da Fisioterapia em Movimento, Revisor de periódico da Revista Brasileira de Engenharia Biomédica , Avaliador Institucional e de Cursos do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e Revisor de periódico da Revista Brasileira de Fisioterapia. Tem experiência na área de Engenharia Biomédica , com ênfase em Engenharia Médica.



Horário: 08:00 às 12:00



Sala Lira


WORKSHOPS



1. A quantas anda a inclusão da Pessoa com Deficiência no mercado de trabalho?



Ministrante: Marta Gil



Formada em Ciências Sociais Atua como consultora na área da Deficiência. Fundadora e Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas (1989); Participou do Fellow pela Ashoka Empreendedores Sociais, com o projeto REINTEGRA – Rede de Informações Integradas sobre Deficiência, integra a rede Reintegra - Rede de Informações Integradas sobre Deficiências; Rede SACI - Solidariedade, Apoio, Comunicação e Informação; Campanha Acesso de Humor e Inclusão e a pesquisa “Caracterização sociológica de indivíduos portadores de cegueira e deficiência visual.



Horário: 8:00 às 12:00



Sala Pegasus

2. Confecção de Adaptações para Atividades da vida diária em PVC



Ministrante: Jorge Lopes Rodrigues Júnior (Terapeuta Ocupacional, Professor da Universidade do Estado do Pará, Coordenador do Laboratório de Tecnologia Assistiva da UEPA e membro do Projeto NEDETA.



Horário: 8:00 às 12:00



Sala Phoenix



3. Confecção de Acionadores Artesanais: Um Recurso de Acessibilidade



Ministrantes: Bolsistas do NEDETA



Horário: 8:00 às 12:00



Sala Vega


4. Os hardwares e softwares acessíveis: Relato de Experiência Ministrante: José Antônio Rezende Beiral



Engenheiro, pesquisador do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer – CENPRA/Campinas. Responsável pelo projeto Auxilis (Software e Hardware para deficientes)



Horário: 8:00 às 12:00



Sala Sírius
_________________________________________________________________________________________




DIA 05/11 – Tarde

14:00 – 15:30



Mesa Redonda: O processo de avaliação para a escolha do recurso de tecnologia assistiva



Coordenação:



Participantes: Juliana Maciel de Queiroz Lourenço (UEPA-PA)



Éden Fernando Batista Ferreira (UEPA-PA)



Gisleine Martin Philot (Expansão-SP)



15:30 – 18:00



Mesa Temática: Tecnologia, Inovação e Inclusão



Coordenação: Iolanda Bueno Cortelazzo (UTP-PR)



· Cadeira de Rodas Robótica Comandada por Piscadas de Olhos, Movimento do Globo Ocular, Movimento de Cabeça e por Sinais Cerebrais - Teodiano Freire Bastos (UFES- ES)



· Acessibilidade Digital - José Antônio Rezende Beiral



· Tecnologias Assistivas de baixo custo para uso nas Atividades da vida diária – Jorge Rodrigues Lopes Júnior (UEPA-PA)



· Engenharia de reabilitação – Percy Nohama (PUC-PR)



· Tecnologia Assistiva e Inovação – Theresinha Guimarães Miranda (UFBA-BA) – on line


DIA 06/11 – Manhã



8:00 – 12:00

WORKSHOPS



5. Tecnologia Assistiva e deficiência visual



Ministrante: Antônio Carlos Junior (SEJUDH/PA)



Pedagogo, presidente da Associação dos Cegos e Para cegos do Pará, Coordenador de Portadores de Deficiência Física da SEJUDH e membro do Comitê Municipal de Belém.



Sala Lira

6. Tecnologia Terapêutica Dinâmica Personalizável



Ministrante: Gisleine Martin Philot



terapeuta ocupacional especialista em Tratamento Neuroevolutivo e Alfabetização Especial e Consultora em Tecnologia Assistiva. Trabalhou 6 anos na Europa com experiência com Tuboform.



Sala Pegasus



7. Confecção de Aplicativos em Power Point: Um recurso de Ensino com crianças deficientes



Ministrantes: Mariane Sarmento da Silva e Laiana Soeiro Ferreira



Terapeutas Ocupacionais foram bolsistas do NEDETA e atualmente são mestrandas do Programa de Teoria e Pesquisa do Comportamento (UFPA)



Sala Phoenix


8:00 – 12:00



Mesa Temática

Mesa Temática



Coordenação: Amauri Gouveia Junior (UFPA)



O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento da interação de crianças surdocegas e com deficiência múltipla sensorial - Shirley Rodrigues Maia (AHIMSA/SP)



Inclusão Diagnóstica do surdo - Cintia N. Madeira Sanchez, e Amauri Gouveia Junior (UFPA)



Aprendizagem de relações ordinais em crianças surdas - Ruth Daisy Capistrano Souza, Grauben José Alves de Assis (UFPA)



Análise do Comportamento e surdez: revisitando estudos experimentais - Priscila Giselli Silva Magalhães e Grauben José Alves de Assis (UFPA)



Mães surdas e ouvintes e seus bebês ouvintes: transformações dos sistemas parentais durante o primeiro semestre - Marilice F Garotti, Karina S. Montenegro, Raphaella L. de Albuquerque (UFPA)



Inclusão de Alunos com deficiência no Ensino Superior – Maria Joaquina Nogueira da Silva

Sala Vega



Mesa Temática 2



Coordenação: Grauben José Alves de Assis (UFPA)

Contribuições da análise do comportamento para compreensão de repertórios acadêmicos e comportamentos clinicamente relevantes - Mariana Miccione e Grauben Assis



Estabelecendo comportamento textual através da ordenação de estímulos em crianças atípicas - Jaci Augusta Neves de Souza[1] - Centro Universitário do Norte – UNINORTE/LAUREATE e Grauben José Alves Assis (UFPA)



Integrando tecnologias no ensino de crianças atípicas – Ana Irene Alves de Oliveira (UEPA) e Grauben José Alves de Assis (UFPA)



Formação de Professores para estabelecer a comunicação alternativa: relato de Experiências – Rafael Morais da Silva (UEAFTO)



Sala Sírius



DIA 06/11 – Tarde



14:00 – 16:00



APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS CIENTÍFICOS



Sala Lira



Sala Pegasus



Sala Phoenix



Sala Veja



Sala Sírius







!6:00



LANÇAMENTO DE LIVRO



17:00 – 18;00



Conferência de Encerramento



Educação Inclusiva é Possível.



Ministrante: Regina Hasty (USA

terça-feira, 7 de setembro de 2010

SEMINÁRIO "REPRESENTAÇÃO SOCIAL, LETRAMENTO E EDUCAÇÃO DE SURDOS"

P R O G R A M A Ç Ã O
- 25 de setembro de 2010 -
Auditório da Casa Durval Paiva
Unidade Barro Vermelho – Natal/RN
07h30 – Credenciamento
08h30 – Abertura – ASNAT / SEED-SUESP / SME / SUVAG / CAS / LETRAS/LIBRAS – CEFET-RN
09h – Palestra: CULTURA E IDENTIDADE SURDA.
Profa. Ademilde Barros de Lima – Faculdade Maurício de Nassau
11h – Palestra: REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA PESSOA SURDA E SUAS IMPLICAÇÕES NO MERCADO DE
TRABALHO.
Profa. Sonia Maria Matias de Ataíde – Universidade Federal de Campina Grande - UFCG
14h30 – Palestra: O LETRAMENTO DO SURDO COMO PRÁTICA DE INTERAÇÃO E REPRESENTAÇÃO
SOCIAL.
Profa. Marie Gorett Dantas de Assis e Medeiros Batista – Universidade Federal da Paraíba - UFPB
15h30 – Palestra: PROFISSIONALIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE SURDOS.
Prof. Amon Evangelista dos Anjos Paiva – Faculdade do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte - FARN
16h30 – Debate
17 – Encerramento e Entrega dos Certificados.
- 26 de setembro de 2010 -
Igreja São Pedro – Alecrim – Natal/RN
14 às 17h – Festa Comemorativa ao Dia do Surdo
DIA: 25 e 26 de Setembro de 2010
Horário: 08h às 17h.
Local: Auditório da Casa Durval Paiva
Rua Clementino Câmara. 234 - Barro Vermelho - Natal – RN
Pastoral dos Surdos da Igreja São Pedro – Alecrim – Natal - RN
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES
CENTRO FAPAZ DE ENSINO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES
Mantido por: FAPAZ EVENTOS CIENTÍFICOS E CULTURAIS LTDA.
Rua Cel. Auris Coelho, 45 – Ed. Lêda Maria
Lagoa Nova – Natal – RN – 59075-050
http://eadcursos.mdl.gnomio.com/ - cefop2@gmail.com
(84) 9114 0840 / 9604 1168 / 8801 7458